Nossa atuação

A Rede Sem Fronteiras promove a articulação e o intercâmbio entre a sociedade civil organizada, instituições acadêmicas e governos locais, com o foco na defesa e na promoção dos direitos das pessoas migrantes e refugiadas. Em suas ações, a RSF coordena e participa de espaços de cooperação, reflexão e de decisão que contribuem com a construção de políticas alternativas de governança migratória e com a articulação da diáspora latino americana, num espírito de cooperação entre os povos, de desenvolvimento sustentável e de superação de assimetrias. 

ARTICULAÇÃO E PARCERIAS INSTITUCIONAIS

Projeto Cidades Universais

A Rede Sem Fronteiras acompanha e participa de projetos e de ações de iniciativa dos governos locais e da sociedade civil com a promoção de diálogos e articulação de redes entre cidades no âmbito dos países iberoamericanos. Em 2020, em parceria com a Organização Para uma Cidadania Universal e o Comitê Católico Contra a Fome e Pelo Desenvolvimento – Terra Solidária, a RSF fez um estudo sobre as políticas das cidades de Lisboa e Cascais, além de ter promovido o diálogo com as cidades espanholas de Barcelona, Parla e Fuenlabrada. Na América Latina, por meio de seus membros, a RSF tem participado de ações envolvendo as cidades de São Paulo, Guarulhos, Curitiba, Região Metropolitana e Foz do Iguaçu, além de Neuquén na Argentina e Tacna no Peru.

Articulação da Diáspora Latinoamericana

Ao se estabelecer na Europa, desde 2019, a Rede Sem Fronteiras passou a desenvolver ações de articulação da diáspora latino americana na Europa, em especial na Península Ibérica, Itália e França.

As ações visam potencializar a capacidade das associações de imigrantes latino americanos que atuam nos países europeus e, ao mesmo tempo, promover o diálogo entre a origem, o trânsito e o destino dos imigrantes.

Aliança Migrações

O projeto Aliança Migrações é fruto do encontro de três grupos: a Organização para a Cidadania Universal, a Associação Nacional de Cidades e a Territórios Acolhedores, o projeto “Instantâneos das Fronteiras” – rede europeia de cidades fronteiriças – e suas respectivas experiências. O encontro aconteceu pela primeira vez em 2015, em um colóquio sobre a governança alternativa das migrações, em Paris, e reuniu cerca de 160 pessoas de mais de 30 organizações colaboradores e aliados. 

Conforme o seu texto fundador, a proposta da Aliança Migrações de todas iniciativas associadas é:

“Lançar uma frente comum construída em torno de uma aliança sustentável entre autoridades locais e sociedade civil a fim de defender, a partir da escala local e a nível europeu, uma governança das migrações fundada no acolhimento digno e no respeito dos direitos humanos fundamentais, e inscrevendo-se em uma visão global da cidadania dos direitos humanos e sua efetividade.”

A Aliança de Migrações é impulsionada pelo desejo de mudança global e visa a “reunião de experiências locais de cidades e organizações da sociedade civil de todo o mundo, a fim de avançar em direção a uma visão alternativa da governança global da migração”. Em 2019, ocorreu o segundo evento nos dias 3 e 4 de outubro, em Paris, cujos produtos geraram bases comuns e propostas de ações conjuntas.

INCIDÊNCIA PARTICIPATIVA E CONSTRUÇÃO CONJUNTA

Fórum Social das Migrações

A Rede Sem Fronteiras faz parte da coordenação dos Comitê Organizador do Fórum Social Mundial e dos Fóruns Regionais: Fórum Social Américas das Migrações e Fórum Social Europeu das Migrações.

Como parte do Comitê Internacional do Fórum Social Mundial das Migrações, a Rede Sem Fronteiras foi responsável pela realização da VII edição do evento, em 2016, em São Paulo. 

Fórum Social Américas das Migrações

 

Realizado em 2020, de forma virtual, o FSAM teve a participação de quase 600 pessoas, 352 organizações de 38 países. Foram mais de 20 atividades na etapa de pré-fórum, 30 atividades autogeridas, e, como resultado, foram obtidas quase 60 propostas para continuar a trabalhar e tomar o próximo Fórum Social Mundial sobre Migrações (WSFM) como plataforma regional.

Forum Social Europeu das Migrações

A RSF participou de forma ativa no Fórum Social Europeu sobre Migrações (ESFM), o Comitê Local e Internacional de organização do processo que está atualmente em construção com um calendário de atividades prévias que pode ser consultado nas redes sociais e no site oficial do FSEM.

ACESSE NOSSO ARQUIVO E CONFIRA NOSSAS PUBLICAÇÕES

CONFIRA NOSSAS AÇÕES EM NOSSAS REDES SOCIAIS